Editoras X Coletivo Sabotagem: Gatunos do conhecimento?

October 22nd, 2004 por Diego

Gatunos do conhecimento 13/10/2004

Com o mote “Conhecimento não se compra, se toma!” o site Sabotagem (www.sabotagem.cjb.net) está descaradamente disponibilizando para download livros que estão longe de entrarem para o domínio público. Obras como Stupid White Men (W11), de Michael Moore, Ensaio Sobre a Cegueira (Companhia das Letras), de José Saramago, e Doze Contos Peregrinos (Record), de Gabriel Garcia Marquez, estão à disposição, na íntegra, para acesso de qualquer internauta. Alguns dos livros apresentam até uma imagem da capa da edição original. A W11 já entrou em contato com a assessoria jurídica da Câmara Brasileira do Livro e a entidade pretende contatar as outras editoras pirateadas para dar início a uma ação conjunta para que o site do Coletivo responsável saia do ar. Em um texto do site onde seus objetivos são apresentados, encontra-se a seguinte pérola: “A distribuição de livros de forma gratuíta mais do que a simples violação de leis que consideramos injustas é acreditar que através do conhecimento, cultura e arte podemos buscar ser algo melhor, é não temer o futuro e acima de tudo teimar em ter esperança no homem.”

Fonte: PublishNews

A notícia é do dia 13 e o site está no ar ainda. Incrível.



45 Responses to “Editoras X Coletivo Sabotagem: Gatunos do conhecimento?”

  1. Lucas Torri Says:

    eu acredito que cultura pode sim tornar a vida do cidadão melhor! Não tentar crescer culturalmente e manter-se no buraco que os outros te impõem a ficar!

  2. Telma Regina Says:

    II Congresso On-line do Observatório
    para a Cibersociedade. Diego este é o link que sugiro para ser colocado no BSF
    http://www.cibersociedad.net/congres2004/index_pt.html

  3. Fabiano Caruso Says:

    A qualidade de “conhecimento” que eles estão divulgando, não quero nem de graça.

  4. Lucas Torri Says:

    o tipo de material que é apresentado em http://www.sabotagem.cjb.net/ não é de meu inteiro agrado, mas penso que tudo o que é divulgado é sempre muito bem vindo! A informação presente no site em questão é o essencial para um entendimento das gestões de governo atuais e históricas de todo o mundo e ater se fora do conhecimento dos mesmos e não dar valor ao que acontece a sua volta, revelando uma total falta de senso critico e “conhecimento”!!!!

  5. nomade Says:

    acho a iniciativa muito boa e faz surgirem novos enclaves de todo tipo de conhecimento. o conteúdo que eles disponibilizam é claramente apresentado no título: contracultura. não há por que esperar o livro do jornal nacional ou chapeuzinho vermelho. aplausos ao coletivo

  6. antonio Says:

    O coletivo sabotagem é um site excelente, existem obras muito
    interessantes, porque seriam gatunos do conhecimento se eles nao
    recebem um real de qualquer individuo que faça download piratas sõa
    os donos de editoras que furtam e tentar manter o latifundio da informação

  7. Glauco Says:

    Se estes sites vendessem seria algo preocupante, mas a partir que uma obra é publicada ela n?o pertence mais ao autor e sim para huminidade. as editoras deveriam se preocupar mais com os preços dos livros. E outra apenas 4% ou 2% sabem aproveitar desta fonte democrática de cultura. Ent?o, do que eles est?o com medo?

  8. E. Xisto Leonardi Says:

    Como lembrou bem o Glauco, trata-se de uma parcela ínfima em face
    do movimento editorial. Até agora, pelo menos. Mas a tend?ncia é
    de crescer. No ramo musical, o fenônemo tem dimens?o muito maior e
    nem por isso as gravadoras entraram em crise. Que sirva de alerta
    ao setor livreiro. Baratear é preciso. No meu caso particular,
    gasto mais de 200 reais mensais em livros. Baixo muita coisa do
    Guttemberg e outros sites estrangeiros, mas nem por isso deixo de
    comprar livros. Quem gosta de ler, minha gente, gosta mesmo
    é de manusea-los. Ler tela é chato e baixar em papel demora e
    fica caro. Resumo: n?o há raz?o para pânico.

  9. daniel Says:

    informaç?o é poder.
    Poder para o povo!! Agora!

  10. tHeus Says:

    É claro que o trabalho dos escritores deveria ser reconhecido, a justa valia por um trabalho é o mínimo. É claro que as editoras literárias assim com as gravadoras deveriam presevar os aspectos de distribuiç?o, mas ai estariamos nos deparando com uma situaç?o totalmente utópica. Desde que foi adotado, o sistema capitalista atrófia as vias culturais, fazendo com que o conhecimento se torne um pingente naqueles que podem pagar por uma roupa cara, ou seja uma clube fechado e seleto com raras excess?es. Enquanto reformas n?o acontecem ficamos no plano do “é claro que se…seria melhor”, e claro que se o mundo fosse mais tolerante poderia coexistir com uma melhor qualidade de vida, mas quem disse que isso é de interrese daqueles que ja vivem dos atributos da mais valia. É uma pena ter que piratiar, “mas quem nunca piratiou que jogue o primeiro Cd que eu piratio!”

  11. Felipe Says:

    Eu sou absolutamente a favor do sabotagem… Infelizmente venho tentando baixar uns livros deles e ? tenho tido sucesso (será q já conseguiram tirar do ar?). A verdade é q os livros t?m preços proibitivos, e que os livros q já baixei de lá eu ? teria lido se tivesse q comprar - acredito q muitos possam dizer o mesmo.

  12. Diego Says:

    O endereço principal saiu do ar, mas o Coletivo n?o. Encontra-se fácil no Google. Até andaram dando entrevista p/ revista Carta Capital, e dizem que recusaram uma para Época.

    Eu achei que um sítio assim n?o duraria muito n?o… Que conseguiriam tirar do ar sem muita dificuldade.

    Difícil é pararem as redes ponto-a-ponto (P2P) :-) A quantidade de coisas que encontramos com o emule (http://www.emule-project.net/home/perl/general.cgi?l=30) , por exemplo, é incrível! E isso que banda larga n?o ta t?o difundida ainda, isso vai longe.

    Quando a difus?o da informaç?o, projetos como http://wikipedia.org e relacionados, além dos de Softwares Livres (ver http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.pt.html ) que est?o mudando o mundo!

  13. edmar da silveira Says:

    Creio que se vc s?o profissionais do livro, (bibliotecarios) devem compreender o altissimo custo de um livro nas prateirlas as livras. assim n?o seria roubo, favorecer aos menos afortunados o direito a leitura, hoje t?o dificil neste p´~is, tenhamos vergonha em adimir isso que represente um feudo dos editores, n?o se paga impostos, e se vende muito caro.

  14. clara Says:

    Mesmo que consigam tirar o site do coletivo do ar, eu tenho livros suficientes baixados de lá para distribuir a quem quiser (assim como já tiraram o Napster do ar mas a troca de arquivos de música n?o cessou). Acho a iniciativa do Sabotagem muito válida e nada impede que os afortunados/moralistas de plant?o comprem um livro por R$ 100,00.

  15. Rudi Santos Says:

    A cultura nesse pais é feita para quem tem dinheiro para pagar por ela. As gravadores de disco e as potencias livreiras deveriam pensar em combater a pirataria com o preço baixo. Se eu estiver no onibus n?o vou poder baixar nada, mas posso ler um livro que comprei por um preço justo. O sucesso do autor acumula grandes fortunas pagas por quem pode comprar a cultura.Nem sempre estas fortunas vao para as maos do autor, muitas vezes ele faz como o sambista que vende seu samba por qualquer migalha e depois chora amargamente… Apoio a iniciativa e creio que nem por isto o Saramagro ou o Chico v?o ficar mais pobre pois nem todo mundo tem acesso a internet banda larga pra ficar horas baixando livros….

  16. carol Says:

    pois é, pessoal, agora que eles conseguiram. n?o tem mais, o sabotagem foi para croat?!
    mas parabéns, para eles, duraram um temp?o, ó! e outra, eles foram, mas voltam.

  17. André Gelain Says:

    Achei a idéia mais que genial, pois num país como o nosso onde a cultura em geral (cultura de qualidade) fica restrita somente as classes mais privilegiadas economicamente, a possibilidade de se ter assesso a obras, que geralmente custam uma fortuna, é de um bom senso digno de respeito, no mínimo, já que os autores que escrevem algo baseado num estudo que tem como finalidade o engrandecimento da sociedade, querem mais é que suas idéias sejam difundidas.

  18. Wender Says:

    Voc? sabe quanto custa um livro para uma editora que cobra absurdos na sua venda! N?o existe erro no sabotagem…

  19. Pamela Says:

    O Sabotagem foi tirado do ar, mas já é possível acessá-lo novamente, é só procurar! Ouvi, ou li em algum lugar que hoje papel é artigo de luxo, quem entra na faculdade e tem que arranjar formas de ler os livros obrigatórios ou compra (e passa fome, devido aos preços) ou l? no computador que aliás nem é um metódo bom para os olhos, mas excelente para a mente. N?o adianta impedir o Sabotagem e outros sites que distribuem cultura, um autor n?o deveria visar seu enriquecimento e sim a disceminaç?o de suas idéias, e é uma pena que existam as editoras e seus preços impossíveis pro bolso de qualquer brasileiro.

  20. Raquel Says:

    Concordo sim com a dita frase “Conhecimento n?o se compra, se toma!”. Durante um bom tempo baixei vários livros do coletivo Sabotagem, os preços das livrarias s?o abusivos, a soluç?o s?o os sebos e essa contracultura do Sabotagem. Enquanto esses escritores visarem somente o lucro haver?o manifestaç?es dessa natureza. E fica a pergunta, porque livros como Stupid White Men (Michael Moore), Ensaio Sobre a Cegueira (José Saramago), e Doze Contos Peregrinos (Gabriel Garcia Marquez) est?o longe de entrarem para o domínio público?

  21. Eduardo Says:

    E aí pessoal, blz?
    Acabo de saber o que o Coletivo Sabotagem tem feito e achei ótimo, afinal o preço dos livros é impraticável. Só tem um problema, n?o acho o site. Alguém sabe se eles já t?m endereço novo?

    Valeu.

  22. Anderson Says:

    é impotante resaltar, que mesmo com diversas obras literarias virtuais gratuitas,o seu respectivo acesso, ainda continuara excludente, pois a maioria da populaç?o brasileira n?o disp?e de um pc. ou mesmo acesso ? internet.O custo de livros de forma geral, é inacessível…uma política de subsídios e incentivos fiscais,deve promover uma reduç?o de custos…o acesso a obras vituais,poderia ser oficialmente uma opç?o, com custos bastante reduzidos, a exemplo das EADs.

  23. jucca sassafrás Says:

    Afinal qual o objetivo do conhecimento?
    servir de fonte de lucro pra editoras ou autores?
    Será q a maioria esmagadora da populaç?o tem condiç?es de pagar mais de 30 ou 40 reais por um bom livro??
    Além do mais como foi dito acima,essa mesma maioria n?o acessa internet,ent?o é uma perda muito irrisória para o mercado editorial.
    Essa campanha toda vinculada pela mídia corporativa contra a pirataria,é a nova caça ?s bruxas.
    Como dizia Proudhon:TODA PROPRIEDADE É UM ROUBO! Inclusive ” propriedade intelectual”,cujo termo me faz imaginar um livro ou um cd cercado por arame farpado ou grades…COPYLEFT JÁ!

  24. Leopas Says:

    Jung já disse… pessoas podem nascer com constituições cerebrais parecidas e ter as mesmas idéias.. aí resta a pergunta, de quem é o conhecimento?????????

  25. 039 Says:

    O Sabotagem está de volta!

    https://sabotagem.revolt.org

    Conhecimento não se compra, se toma!

  26. Ed Bello Says:

    A iniciativa do Coletivo Sabotagem, além de não ameaçar em nada os lucros das editoras, é um passo importante para a democratização do conhecimento, ainda que pese a pequena parcela da população que tem acesso à internet e, menos ainda, quem tem interesse na divulgação de cultura e conhecimento.

    O que me espantou mesmo foi ver gente aqui dizendo que não quer o conhecimento disponibilizado no Coletivo nem de graça. García Marquez, Adorno, Platão, Pierre Lévy, Saramago e tantos outros autores mais que consagrados, de graça, e tem gente que diz que não vale à pena??? Acho que gente assim preferiria que o Coletivo abrisse as câmeras do Big Brother…

  27. Fernando Says:

    VIVA O COLETIVO SABOTAGEM!!!!!

  28. licurgourquiza Says:

    excelente o trabalho do Coletivo Sabotagem. O conhecimento é livre e pertence a toda a humanidade. ninguém escreveu os livros a partir do zero, todos se apropriaram de um conhecimento anterior, produzido por antepassados. isso não pode ser simplesmente reduzido a categoria de propriedade inviolável de alguém. o ser humano cria para o mundo e ao fazê-lo também cria para satisfazer a si mesmo. menos conservdorismo, menos mercantilismo, menos ufanismo! Longa vida ao Coletivo Sabotagem!

  29. Sandra Aurora Ângelo Gonçalves Says:

    Acabei conhecendo o site através do e-mail de rede do Instituto Helena Greco DIREITOS HUMANOS. Acredito que exemplo menor neste sentido é o acesso de obras clássicas daquilo que não é comercializado pela burguesia como direito humano de uma sociedade ter acesso e mergulhar em abundante conhecimento! PARABÉNS PELA INICIATIVA!!! Abraços revolucionários!

  30. marcelo Says:

    O absurdo é que mesmo de graça, pirateado, sabotado ou deslavado o brasileiro não dá muita bola para livros. Uma pena, mas a ação acaba nela mesma. O povo quer novela e “Louis Viton”.
    O conhecimento deve ser livre e tudo é cópia. Tudo já foi dito. Nós apenas retalhamos e elocubramos teses que nunca dão em nada!!!

    marcelo

  31. thor Says:

    hi sou moçambikano
    amante de leitura i literatura gostaria de ler livros de jorge amado ou gabu marquez
    em mozambike livros sao uma fortuna
    paz

  32. Dirceu Says:

    Estou a procura do livro BOSSA NOVA E OUTRAS BOSSAS

  33. Chico Says:

    Chico…

    Multi-reedman, keyboard artist, composer, and producer. Chico was the startin…

  34. Chico Says:

    Chico…

    Multi-reedman, keyboard artist, composer, and producer. Chico was the starting point …

  35. Paunocudo6 Says:

    PAU NO CU De voces

    Tardio porém ainda válido

  36. The Marcello Says:

    The Marcello…

    As head of the powerful 15th-century Florentine family, Lorenzo de’ Medici was the ultimate …

  37. antonio carlos cunha gonçlaves Says:

    Francamente! Não é nenhum absusurdo disponibilizar obras raras e caras de graça para o público. A iniciativa devia, sim, ser incentivada, pois democratiza o conhecimento.
    O sabotagem está de parabéns.

  38. magrelo Says:

    A informação deve circular !!!

    Se eu fosse autor eu gostaria q o maior numero de pessoas tivesse acesso, independente do formato.

    Quem vai contra isso nem merece ser lido

  39. Jorge Nery Says:

    Sou um autor desconhecido, amante da literatura e autodidata. Leio e escrevo por prazer. Já escrevi três romances (registrados na Biblioteca Nacional). Mas, cansado de bater às portas das editoras, resolvi, por protesto, pubricar meus romances gratuitmente através desse site.
    Gostaria de saber se é possível e como proceder.
    Obrigado
    Jorge Nery

  40. hein Says:

    num gosto pega eu!
    1

  41. jpgpessoa Says:

    Iniciativas como a do coletivo sabotagem deviam pipocar!! Fodam-se as editoras! Quanto ao acesso aos livros, eu imprimo e tiro xerox e depois de ler dou para os amigos lerem! e estou juntando um dinheiro para comprar uma impressora matricial, para imprimir os livros e distribuí-los! Grande iniciativa dos caras!! Parabens pra eles e pra nós! Copyleft já!

  42. jpgpessoa Says:

    Caro Jorge Nery é só entrar em contato com o site! vc acha colocando no Google coletivo sabotagem

  43. Vanessa Says:

    O que acontece com os livros é o mesmo que com os cd’s.
    Na maioria das vezes o preço é absurdo e muitos não podem comprar. Se não fosse assim, tenho certeza que esse tipo de coisa não aconteceria.

  44. danilo Says:

    um tolice acabar cOM o sabotagem….um site que nos trazia o conhecimento de uma forma GRATUITA E SIMPLES…
    o que queriam ao fecheram o sabotagem?
    ja que não podem nos trazer o ‘’sol do conhecimento” , saim da frente dele!!!

  45. leo Says:

    AIÉ´NOS FAVELA O CARA FOI. MAS A VOS FICOU A MENÇAGEM ATODAS PERIFERIA E CLASSIS SOCIAIS ENTAO VOMOS SE LIGA Q É NOSSA VES NEGÃO ENTÃO NÃO VAMOS FICA PARADO NÃ0, PODI CRE NEGO, VAMOS AI A VIDA SO É DURA SO PRA QUEM É´MOLE. QUE DEUS NOS ABENÇOE A TODAS QUEBRADAS UM SAUVI.

Deixe seu comentário